Oportunidade de cursos EAD de Geoinformação em quatro universidades federais

  • 3 de julho de 2020

Os cursos são gratuitos e qualquer pessoa interessada, de qualquer região do país, pode se inscrever. Metodologia une conhecimentos de cartografia, computação e ciência da informação

Estão abertas as inscrições para o curso em Educação a Distância (EAD) Geoinformação na SPU – conceitos, fundamentos e tecnologias, desenvolvido em parceria pela Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU) e pelas universidades federais do Amazonas (UFAM), Bahia (UFBA), Santa Catarina (UFSC) e Fluminense (UFF). A capacitação, totalmente on-line e sem tutoria, tem 80 horas de aulas que devem ser concluídas em até 100 dias para que o certificado seja emitido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Qualquer pessoa interessada pode se inscrever, servidor público ou não, e de qualquer estado brasileiro.

“Para nós, da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, é essencial termos um número cada vez maior de pessoas com capacitação em geoinformação. Precisamos dessa habilidade para qualificar os dados de localização dos imóveis da União”, explicou Fernando Bispo, secretário de Coordenação e Governança do Patrimônio da União. De acordo com o secretário, atualmente não existe no mercado capacitação semelhante nesse formato. “É uma grande contribuição da SPU oferecer o curso gratuitamente para um público tão grande”, comemorou.

A importância de qualificar as informações sobre o patrimônio da União e aumentar o número de pessoas com essa habilidade tem uma meta: publicar a base de dados na internet. “Além de estarmos falando de transparência ativa de dados públicos, podemos incentivar a participação social da gestão desses imóveis com a possibilidade de desenvolvermos aplicativos, por exemplo, que nos mostrem onde estão e quanto valem os imóveis da União”, explicou Fernando Bispo.

O curso de Geoinformação na SPU é promovido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e tem a certificação da escola. “Foram grandes parceiros neste projeto”, afirmou o secretário Fernando Bispo. As informações são divididas em quatro módulos que demostram conceitos, fundamentos e tecnologias que a secretaria vem utilizando e implementando na gestão de dados geoespaciais dos imóveis e áreas da União. O público-alvo da capacitação são pessoas que atuam com dados e informações geoespaciais em ambientes públicos ou privados ou ainda aqueles que desejam conhecer sobre a natureza, obtenção, produção e organização de dados para a produção de mapas temáticos.

As inscrições podem ser feitas pela internet.

Últimas notícias

CFT e CNM estudam parceria em prol de maior divulgação do registro e legislação dos técnicos industriais

CFT e Confederação Nacional dos Municípios tratam de parceria pelo esclarecimento de gestores estaduais acerca do registro e legislação dos técnicos industriais Na quarta-feira (14/10),…
Ler mais...

Resolução No. 102 do CFT trata das atribuições dos Técnicos em Geologia

  Confira a resolução na íntegra:   RESOLUÇÃO Nº 102.2020 - Tec. em Geologia
Ler mais...

PDL 304/2020: vote ‘contra’ e defenda a profissão do técnico industrial!

Projeto de Decreto Legislativo para votação no site da Câmara dos Deputados pretende vetar atribuições dos técnicos descritas na Resolução CFT nº 101 Link para…
Ler mais...

Oportunidade de cursos EAD de Geoinformação em quatro universidades federais

  • 3 de julho de 2020

Os cursos são gratuitos e qualquer pessoa interessada, de qualquer região do país, pode se inscrever. Metodologia une conhecimentos de cartografia, computação e ciência da informação

Estão abertas as inscrições para o curso em Educação a Distância (EAD) Geoinformação na SPU – conceitos, fundamentos e tecnologias, desenvolvido em parceria pela Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU) e pelas universidades federais do Amazonas (UFAM), Bahia (UFBA), Santa Catarina (UFSC) e Fluminense (UFF). A capacitação, totalmente on-line e sem tutoria, tem 80 horas de aulas que devem ser concluídas em até 100 dias para que o certificado seja emitido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Qualquer pessoa interessada pode se inscrever, servidor público ou não, e de qualquer estado brasileiro.

“Para nós, da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, é essencial termos um número cada vez maior de pessoas com capacitação em geoinformação. Precisamos dessa habilidade para qualificar os dados de localização dos imóveis da União”, explicou Fernando Bispo, secretário de Coordenação e Governança do Patrimônio da União. De acordo com o secretário, atualmente não existe no mercado capacitação semelhante nesse formato. “É uma grande contribuição da SPU oferecer o curso gratuitamente para um público tão grande”, comemorou.

A importância de qualificar as informações sobre o patrimônio da União e aumentar o número de pessoas com essa habilidade tem uma meta: publicar a base de dados na internet. “Além de estarmos falando de transparência ativa de dados públicos, podemos incentivar a participação social da gestão desses imóveis com a possibilidade de desenvolvermos aplicativos, por exemplo, que nos mostrem onde estão e quanto valem os imóveis da União”, explicou Fernando Bispo.

O curso de Geoinformação na SPU é promovido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e tem a certificação da escola. “Foram grandes parceiros neste projeto”, afirmou o secretário Fernando Bispo. As informações são divididas em quatro módulos que demostram conceitos, fundamentos e tecnologias que a secretaria vem utilizando e implementando na gestão de dados geoespaciais dos imóveis e áreas da União. O público-alvo da capacitação são pessoas que atuam com dados e informações geoespaciais em ambientes públicos ou privados ou ainda aqueles que desejam conhecer sobre a natureza, obtenção, produção e organização de dados para a produção de mapas temáticos.

As inscrições podem ser feitas pela internet.