CFT e CNM estudam parceria em prol de maior divulgação do registro e legislação dos técnicos industriais

  • 16 de outubro de 2020

CFT e Confederação Nacional dos Municípios tratam de parceria pelo esclarecimento de gestores estaduais acerca do registro e legislação dos técnicos industriais

Na quarta-feira (14/10), o Presidente do CFT Wilson Wanderlei Vieira, o Vice-Presidente José Carlos Coutinho e os Diretores Francisco Viana Balbino, Solomar Pereira Rockembach e Bernardino José Gomes se reuniram por videoconferência com Glademir Aroldi, Presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e Assessoria, para estudar uma possível parceria entre as duas instituições.

Na reunião, acompanhada pela equipe do gabinete do deputado Giovani Cherini do PL-RS (o Coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Ensino Técnico) – o Conselho destacou seu objetivo de coibir as dúvidas e desinformação, especialmente entre gestores estaduais, acerca do registro dos técnicos industriais, de suas atribuições profissionais e da legislação que normatiza suas atividades.

Dada a criação do Conselho dos Técnicos Industriais ainda recente, algumas prefeituras, por vezes, não reconhecem o novo Conselho e os profissionais por ele registrados. Dito isso, o Presidente do CFT, o Técnicos em Edificações Wilson Wanderlei Vieira, pontua que o não reconhecimento do registro dos técnicos ou exclusão destes profissionais de licitações, tomadas de preço, concursos e outras demandas de serviço – configura descumprimento da lei por parte das prefeituras, pois as atividades dos técnicos normatizadas pelo CFT possuem arcabouço legal.

A Diretoria lembrou que é atribuição dos técnicos executar obras de até 80 metros quadrados e que, em muitas cidades nas quais não há engenheiros, eles podem exercer atividades com liberação de alvarás, por exemplo, e outros serviços públicos referentes à construção civil. No Estado, para esclarecer os gestores, o CRT-BA buscou a União dos Municípios da Bahia (UPB), que emitiu uma nota técnica – explica o Presidente do CRT Bahia, Sandro Augusto, também presente na reunião.

Na ocasião, o CFT destacou ainda que a CNM e as entidades estaduais não devem intervir na prefeitura e, deste modo, a ideia da parceria promoveria maior clareza sobre o tema e evitaria que o Conselho tenha que entrar com ação, impugnando edital e atrasando obras – um problema frequente.

Fonte: CFT

Últimas notícias

Oportunidade de cursos EAD de Geoinformação em quatro universidades federais

Os cursos são gratuitos e qualquer pessoa interessada, de qualquer região do país, pode se inscrever. Metodologia une conhecimentos de cartografia, computação e ciência da…
Ler mais...

Resolução No. 102 do CFT trata das atribuições dos Técnicos em Geologia

  Confira a resolução na íntegra:   RESOLUÇÃO Nº 102.2020 - Tec. em Geologia
Ler mais...

PDL 304/2020: vote ‘contra’ e defenda a profissão do técnico industrial!

Projeto de Decreto Legislativo para votação no site da Câmara dos Deputados pretende vetar atribuições dos técnicos descritas na Resolução CFT nº 101 Link para…
Ler mais...

CFT e CNM estudam parceria em prol de maior divulgação do registro e legislação dos técnicos industriais

  • 16 de outubro de 2020

CFT e Confederação Nacional dos Municípios tratam de parceria pelo esclarecimento de gestores estaduais acerca do registro e legislação dos técnicos industriais

Na quarta-feira (14/10), o Presidente do CFT Wilson Wanderlei Vieira, o Vice-Presidente José Carlos Coutinho e os Diretores Francisco Viana Balbino, Solomar Pereira Rockembach e Bernardino José Gomes se reuniram por videoconferência com Glademir Aroldi, Presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e Assessoria, para estudar uma possível parceria entre as duas instituições.

Na reunião, acompanhada pela equipe do gabinete do deputado Giovani Cherini do PL-RS (o Coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Ensino Técnico) – o Conselho destacou seu objetivo de coibir as dúvidas e desinformação, especialmente entre gestores estaduais, acerca do registro dos técnicos industriais, de suas atribuições profissionais e da legislação que normatiza suas atividades.

Dada a criação do Conselho dos Técnicos Industriais ainda recente, algumas prefeituras, por vezes, não reconhecem o novo Conselho e os profissionais por ele registrados. Dito isso, o Presidente do CFT, o Técnicos em Edificações Wilson Wanderlei Vieira, pontua que o não reconhecimento do registro dos técnicos ou exclusão destes profissionais de licitações, tomadas de preço, concursos e outras demandas de serviço – configura descumprimento da lei por parte das prefeituras, pois as atividades dos técnicos normatizadas pelo CFT possuem arcabouço legal.

A Diretoria lembrou que é atribuição dos técnicos executar obras de até 80 metros quadrados e que, em muitas cidades nas quais não há engenheiros, eles podem exercer atividades com liberação de alvarás, por exemplo, e outros serviços públicos referentes à construção civil. No Estado, para esclarecer os gestores, o CRT-BA buscou a União dos Municípios da Bahia (UPB), que emitiu uma nota técnica – explica o Presidente do CRT Bahia, Sandro Augusto, também presente na reunião.

Na ocasião, o CFT destacou ainda que a CNM e as entidades estaduais não devem intervir na prefeitura e, deste modo, a ideia da parceria promoveria maior clareza sobre o tema e evitaria que o Conselho tenha que entrar com ação, impugnando edital e atrasando obras – um problema frequente.

Fonte: CFT